JORNAL FACTOS DE ANGOLA Internacional Trump pode se tornar primeiro presidente dos EUA alvo de dois impeachments

Trump pode se tornar primeiro presidente dos EUA alvo de dois impeachments

 Trump pode se tornar primeiro presidente dos EUA alvo de dois impeachments

Os democratas na Câmara dos EUA devem votar nesta quarta-feira o processo de impeachment contra Trump pela incitação à invasão no Capitólio

Por Carolina Riveira  www.makamavulonews.com

Pence, Pelosi e Trump: democratas votaram nesta madrugada para que Pence avalie a emenda 25 

O presidente americano, Donald Trump, pode entrar hoje para a história: o republicano pode terminar o dia sendo o primeiro presidente americano a ter dois processos de impeachment abertos contra si e aprovados pela Câmara.

Os democratas tentam avançar nesta quarta-feira, 13, na votação de um processo de impeachment relâmpago contra Trump pela incitação à invasão no Capitólio na última semana.

Na noite de terça-feira, 12, os democratas já votaram na Câmara para pedir que o vice-presidente Mike Pence desencadeie a chamada Emenda 25 da Constituição. Pela regra, um presidente pode ser destituído por incapacidade.

Como Pence não deve pedir a destituição de Trump, os democratas na Câmara tendem a votar ainda nesta noite o processo de impeachment direto.

Em carta à presidente democrata da Câmara, Nancy Pelosi, Pence disse que “eu não acredito que tal curso de ação está no melhor interesse da nossa nação ou é consistente com nossa Constituição”, disse, sobre ativar a emenda 25.

Na votação para exigir que Pence avalie a emenda 25, a Câmara terminou com votação de 223 votos a favor e 205 contra. A expectativa no impeachment é que ao menos 217 deputados votem a favor do impeachment, o suficiente para o processo ser aprovado.

Na votação do impeachment hoje, os democratas esperam contar com alguma ajuda também dos republicanos. Ao menos cinco deputados do partido afirmaram que votariam a favor do impeachment.

O caso mais emblemático foi da deputada Liz Cheney, que faz parte da liderança republicana na Casa. “Nunca houve uma traição maior do presidente dos Estados Unidos de seu cargo e de seu juramento à Constituição”, disse, sobre a invasão no Capitólio em 6 de janeiro. Segundo ela, o presidente “convocou a multidão, organizou a multidão e acendeu a chama deste ataque”.

Liz Cheney é filha, inclusive, de um ex-vice-presidente republicano, Dick Cheney.

Também ontem, Trump fez sua primeira aparição pública desde a invasão do Capitólio. No discurso, no Texas, o presidente repetiu que a vitória do democrata Joe Biden na eleição é ilegítima e disse não ser culpado pela invasão no Congresso.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Post