Qual é a etnia dos portugueses?

Qual é a etnia dos portugueses?

 Boa questão. De um ponto de vista étnico, a maioria dos portugueses pode ser descrita como pertencendo a um grupo étnico denominado de “português”, cuja identidade nacional se forjou a partir de um núcleo original situado entre Douro e Minho, do século XII em diante. 

Por Moussa Garcia

17/01/2021

A sua língua nativa é o português (que resulta do antigo idioma galaico-português) e a religião tradicional é o catolicismo. O substrato original são as tribos celtiberas que aqui viviam por volta do início da era cristã, a que se depois juntaram pequenos números de romanos, suevos e visigodos. A reconquista cristã do território partiu desse núcleo original de Entre Douro e Minho, passando a incorporar, pouco a pouco, os territórios a sul do Douro onde viviam os chamados moçarabes, que no fundo eram os cristãos hispânicos de ascendência celtibera, que ficaram sob domínio muçulmano durante vários séculos e adoptaram, em larga medida, a cultura islâmica. Falavam uma língua românica que se fundiu com o galaico-português e deu origem ao português moderno.

 Os portugueses nasceram dessa amálgama de povos, mas o legado predominante é o das tribos celtiberas que já aqui viviam antes da conquista romana, como demonstram os estudos genéticos realizados recentemente.

 Mas há outras etnias em Portugal e essas pessoas são tão portuguesas como as outras, a começar pelos ciganos, que aqui estão há mais de 500 anos. Ou os judeus sefarditas, que já cá estavam mil anos antes de Portugal existir enquanto nação e que, perseguidos pela Inquisição, tiveram de escolher entre fugir ou converter-se ao catolicismo. Essas comunidades juntaram-se ao substrato original celtiberico, formando o povo português da actualidade. O mesmo acontece com outras pessoas que não têm ascendência portuguesa mas que vivem em Portugal durante alguns anos e ganham o direito a pedir a nacionalidade.

 Por sua vez, uma pessoa que pertença ao referido grupo étnico “português“ mas viva noutro país (por exemplo, um americano ou um brasileiro que tenham bisavós portugueses) não tem automaticamente direito à cidadania portuguesa. Para a poder pedir, é necessário que o seu pai ou avô tenham tido cidadania portuguesa. Acima de duas gerações esse direito deixa de ser reconhecido. A única excepção a esta regra, salvo erro, aplica-se aos descendentes dos judeus expulsos pela Inquisição, que possam provar que descendem de pessoas que aqui viviam nos séculos XV a XVIII.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *