Presidente Angolano João Lourenço na sua fazenda no Kwanzas Sul estão a garimpar diamantes sem licença de exploração tratando de tráfico ilegal de diamantes

Família Presidencial 

Presidente João Lourenço tem vindo a fazer  exploração de diamantes ilícito no baixo Kwanza (território do Libolo) e no Município do Mussende,

Por Moussa Garcia

Investigative journalist 

Washington DC 

04/02/2021

   Segundo a nossa fonte no Sumbe, aqui na província do Cuanza Sul, o director nacional dos Recursos Minerais, Buta Neto informou não ter cedido licença a fazenda Matogrosso só procedeu 9 licenças a cooperativas locais as cooperativas no Kwanza sul, sobre a comercialização dos diamantes extraída pelas mesmas informou que o Estado, através da SODIAM, é o comprador dos diamantes produzidos por estas cooperativas e qualquer venda fora deste será considerada ilícita, susceptível de perder o título e ser indiciado criminalmente.

   Actos dos género já foram realizadas nas províncias do Cuanza Sul, Malange, Uíge, Bié, Lundas Norte e Sul , perfazendo um total de 241 licenças de exploração de diamantes atribuídas. Cada licença atribuída poderá proporcionar a criação de pelo menos 35 postos de trabalhos,Maka Mavulo News ouviu alguns populares sobre a  exploração ilícita de diamantes no baixo Kwanza no terreno do presidente João Lourenço esta atividade não é legal segundo lamentou um dos sobas de uma das aldeias junto ao baixo Kwanza Domingos Muhongo, também acusou  sobre o comportamento de humilhação e racista do responsável da fazenda  Matogrosso  patrimônio de João Lourenço,  José Carlos Manuel de Oliveira Cunha “Oca”, que na esfera do Estado, ocupa o cargo de membro do Conselho da República este não respeita os nativos ele é muito arrogante não respeita as autoridades tradicional, situação preocupante é a nossa aldeia os nossos terrenos juntos a zona limite do local da área de exploração dos diamantes ordenou para nós não cultivar e nem passar a frequentar nos nossos terrenos , tentamos entrar em contato com o comandante da polícia municipal para este convocar o mesmo aconselhou nos a escrever  ao presidente JLO fizemos já lá vão 1 ano sem resposta, contactámos a assembleia nacional aqui na província e o governo provincial não obtivemos respostas favorável,Maria Kiteke Firmino rematou  á Maka Mavulo News  que seu marido agricultor da fazenda, teremos que abandonar aldeia no próximo ano porque estamos localizados na área onde existe um kimberlito de diamantes o presidente João Lourenço irá  explorar o mesmo foi o próprio senhor José Carlos Manuel de Oliveira Cunha “Oca” que disse numa reunião com os agricultores que habitam na aldeia reunião feita dentro da fazenda, sobre os pequenos aviões aterram na calada da noite no aerodromo duas vezes por mês transportando os diamantes , informou Quintino Pereira comerciante Santomense residente na aldeia o único que tem vindo ajudar a população, preocupado com a situação devido o seu investimento que fez na reconstrução da sua loja e armazém que serve para estocagem dos produtos agrícolas adquirido nos camponeses,caso o povo desta aldeia serão desalojados irei perder e não sei se a fazenda Matogrosso fará indenização  do meu investimento lamentou.

Tentamos manter o contato com

O gerente da fazenda nossa equipe

Não foi autorizado a entrar na fazenda.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *