Mansão do filho do Presidente Jair Bolsonaro a grande Polémica no povo Brasileiro indícios de corrupção financeira segundo a mídia

Conheça a mansão comprada por Flávio Bolsonaro que provocou polêmica

Senador diz que usou dinheiro de venda de imóvel no Rio para comprar mansão em Brasília

Edição de Domingo

07 de março de 2021 

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) comprou um imóvel de luxo em um bairro nobre de Brasília, por R$ 5,970 milhões. A mansão fica localizada no Lago Sul.

O imóvel adquirido pelo senador tem mais de mil metros quadrados e uma piscina. Parte do valor da mansão foi financiado pelo Banco de Brasília.

Além da piscina, a mansão comprada pelo senador tem uma ampla sala de jantar, cozinha equipada, espaço gourmet, suítes e suíte master e academia.

Flávio Bolsonaro diz que usou dinheiro de venda de imóvel para comprar mansão

Flávio Bolsonaro compra mansão de 1.000 m² por R$ 5,9 milhões em Brasília

Lava Jato sobre caso Flávio Bolsonaro: ‘O pai vai deixar?’

Em nota divulgada por sua assessoria de imprensa, o senador afirmou que, para comprar a casa, utilizou “recursos próprios, em especial oriundos da venda seu imóvel no Rio de Janeiro”.  Ressaltou, ainda, que “mais da metade do valor da operação ocorreu por intermédio de financiamento imobiliário”.

 A assessoria do senador informou que o imóvel vendido foi o apartamento, na Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio, comprado por Flávio e sua mulher em 2014. De acordo com o Ministério Público, o imóvel foi adquirido por R$ 2,550 milhões.

O salário líquido de um senador é de cerca de R$ 25 mil. Flávio foi denunciado pelo Ministério Público no “caso das rachadinhas” quando era deputado estadual na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro). Ele nega as acusações.

Em um vídeo publicado em suas redes sociais, o senador reiterou que comprou a mansão após a venda de um imóvel no Rio e com parte do valor financiado pelo banco. Flávio criticou o que chamou de “uma narrativa criminosa em cima de uma simples compra e venda de imóvel” e disse que a casa tem “uma escritura pública, acessível a qualquer brasileiro”.

O senador também disse ter acionado o GSI (Gabinete de Segurança Institucional) da Presidência para que intensifique a segurança no entorno da residência, que teria sido exposto.

(Com informações de Fernando Molica, no Rio de Janeiro. Por: Maka Mavulo News

 Texto : André Rigue)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *