Presidente Angolano João Lourenço e sua família e outros membros do seu governo viajaram para o Dubai afim de serem vacinados

Kagame de Ruanda é o primeiro líder da África Oriental a receber a vacina Covid19

 Para a Maka Mavulo News em Kigali  Moisés Figueiredo 15/03/2021

 O presidente de Ruanda, Paul Kagame, foi vacinado contra a Covid-19,  na quinta-feira, tornando-o o primeiro chefe de estado a receber a vacina na África , onde as campanhas de imunização estão ganhando velocidade.

 o acto foi transmitido em directo pela televisão nacional Kagame de 63 anos e sua esposa Jeannette recebendo a vacina em um hospital na capital Kigali fotografias foram postadas na conta oficial do Twitter da presidência de Ruanda,

 Presidente Angolano João Lourenço e sua família e outros membros do seu governo viajaram para o Dubai afim de serem vacinados fonte da Maka Mavulo News 

garantem que o presidente Angolano não tem confiança nos médicos Angolanos e na qualidade da vacina que estão sendo aplicado em Angola,esta característica do Presidente João Lourenço é tal como fazia José Eduardo dos Santos anterior Presidente Angolano atualmente residindo no Dubai desde Dezembro de 2020 em companhia com sua filha e sua nova esposa mãe de Isabel dos Santos.

 Um total de 230.000 ruandeses já foram vacinados, disse a presidência.

 Mas o país recebeu 100.000 doses da vacina Pfizer-BioNTech e 240.000 doses da vacina AstraZeneca.

 Ruanda, um país de 12 milhões de habitantes, planeja vacinar 30% de sua população este ano e 60% até o final de 2022.

 Em fevereiro, Ruanda se tornou o primeiro país da África  a vacinar contra a doença, com a vacina Moderna, administrada às pessoas em maior risco, como trabalhadores do setor de saúde.

 O país já realizou mais de um milhão de exames e detectou cerca de 20 mil casos, incluindo 271 mortes, desde o início da pandemia.

 Ruanda impôs algumas das medidas anti-coronavírus mais duras da África, incluindo um dos primeiros bloqueios completos no continente em março de 2020.

 A capital Kigali entrou em bloqueio total em janeiro por duas semanas, após um aumento no número de casos.

 Até agora, na África , Ruanda, Quênia e Uganda iniciaram campanhas de vacinação.  A Etiópia, o país mais afetado na região, começará no sábado.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *