JORNAL FACTOS DE ANGOLA Economia MALANJE: VICE-GOVERNADOR ACONSELHA RESILIÊNCIA NA PRODUÇÃO ALIMENTAR

MALANJE: VICE-GOVERNADOR ACONSELHA RESILIÊNCIA NA PRODUÇÃO ALIMENTAR

 

  • Bens alimentares diversos
Malanje – O vice-governador de Malanje para o sector Político, Económico e Social, Domingos Eduardo, considerou hoje, segunda-feira, ser urgente o país optar pela resiliência na produção alimentar para permitir a manutenção de excedentes.

“Nenhum país é totalmente independente se não conseguir alimentar os seus cidadãos”, frisou, realçando ser nesta senda que o Executivo está a trabalhar no sentido de criar uma estratégia nacional que visa levar mais comida à mesa do cidadão.

O responsável defendeu essa posição quando falava à margem de um workshop regional sobre “Sistemas Alimentares e Consultas Públicas da Estratégia Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (ENSAN II) – Angola 2030”, aberto nesta cidade.

Para ele, as províncias participantes detêm potenciais agrícolas capazes de garantir, a médio prazo, a segurança alimentar do país, sendo necessário, para tal, todos trabalharem com diligência, inteligência e afinco, com vista a se fazer da região um verdadeiro celeiro para atender o país e até mesmo exportar.

Com duração de três dias, o evento reúne técnicos agrários das províncias de Malanje, Lunda Norte, Lunda sul, Cuanza Norte e Moxico, para além de directores provinciais, responsáveis do Ministério da Agricultura e Representantes das Nações Unidas e do Programa Alimentar Mundial (PAM).

O mesmo é uma promoção do Ministério da Agricultura e da FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação), e visa discutir e recolher opiniões sobre as vias para a erradicação da fome e promoção da resiliência alimentar do país.

Esse workshop tem como lema “A contribuição da agricultura nos sistemas alimentares”, e está a debater temas relacionados com a contribuição da agricultura, da pecuária, das pescas e da aquicultura no sistema alimentar.

Consta também das abordagens, “Medidas e políticas operacionais para o reforço do sistema nacional de segurança alimentar e nutricional”, “Indicadores de segurança alimentar”, “Sistema alimentar – ideal-alinhamento para o futuro sustentável”, “Acções necessárias para a promoção de sistemas alimentares territoriais sustentáveis”, entre outros.

Fonte:Angop

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Post