Chivukuvuku será primeiro ministro e Filomeno Lopes é apontado como chefe da Casa Civil do presidente: Conheça os “nomes dos políticos da UNITA” que podem formar governo em 2022

Numa perigosa perspectiva etno-centrista, nos bastidores já se prepara o futuro governo do partido UNITA, em caso de vitória nas eleições de 2022.

Segundo apurado, o propalado GIP (Governo Inclusivo e Participativo), bandeira da campanha de 2017,  foi completamente esquecido e a propalada frente, por enquanto, segundo escreve o site Na Mira do Crime, não tem tantos rostos que possam constituir uma equipa imbatível, embora os seus fundadores tenham outra visão.

De acordo com a fonte, se a UNITA já tem o seu Governo Sombra, ainda não Inclusivo e Participativo, como seria um hipotético Executivo da Frente Unida para Alternância?

Adianta, que se a oposição assumir o poder, a primeira coisa que deverá fazer é alterar a Constituição, introduzindo a figura de primeiro ministro, reduzindo substancialmente os poderes do Chefe de Estado bem como o modelo da sua eleição.

1. Primeiro Ministro — Abel Epalanga Chivukuvuku

2. Ministro da Defesa— Abílio Kamalata Numa

3. Ministro do Interior —Gito Epalanga

4. Ministro da Justiça — Mihaela Webba Kopumi

5. Ministro das Finanças —Fernando Heitor

6. Ministro das Relações Exteriores — Alcides Sakala Simões

7. Ministro da Economia e Planeamento — Eduardo Kossi Ngo

8. Ministro da Saúde — Anastácio Rubén Artur Sikato

9. Ministro da Educação e Ensino Superior— Manuel Correia

10. Ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural — Alberto Francisco Ngalanela

11. Ministro do Comércio — David Kissadila

12. Ministro da Administração, Emprego e Segurança Social — Leonel Gomes

13. Ministro dos Antigos Combatentes — Carlos Kandanda

14. Ministro da Juventude e Despprtos —Alcino Jonas Santos

15. Ministro da Informação — Emanuel Bianco Samakuva

16. Ministro das Pesacas, Mar e Ambiente —Maria João Mateus

17. Ministro da Família e Igualdade de Género — Odete Joaquim Baca

18— Ministro dos Recursos Naturais — Simão Albino Dembo

19. Ministro dos Transportes e Telecomunicações — Gabriela Cristina Martins

20. Ministro da Cultura — Cesaltina Kulanda

21. Ministro da Hotelaria e Turismo — Arlinda Kassova Sapiñala Pena

22— Ministro das Intra—Estruturas, Energias e Águas— Adelino Timóteo Kitekulu

23. Ministro da Administração do Território— Joaquim Nafoia

24. Ministro da Ciência e Tecnologia— João Baptista Ngandajina

25. Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Filomeno Vieira Lopes

26. Chefe da Casa Militar do Presidente da República — Apollo Felino Yakuvela

No seu plano de governação pretende—se reintroduzir os vice—ministros e Secretários de Estado apenas para áreas que não constituem ministério.

Nossa fonte aponta o dedo ao economista Justino Pinto de Andrade como a figura cogitada para Presidente da Assembleia Nacional, coadjuvada por Lindo Bernardo Tito. Relativamente aos governos provinciais, a ideia é de incluir também membros de todas as sensibilidades que contribuirão a Frente para Alternância.


 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *