CRIME-Em Benguela: Empresa Carrinho acusada de engarrafar óleo vegetal, transportado em camiões cisterna de ferro

 Em Benguela: Empresa Carrinho acusada de engarrafar óleo vegetal, transportado em camiões cisterna de ferro

De acordo como o sociólogo juka Mangenje que falava para o espaço radiofônico “o positivo e negativo da Semana” da rádio Eclésia de Benguela, o óleo vegetal que está a ser importado pelo grupo carrinho e engarrafado no seu complexo industrial de Benguela, está ser transportado em camiões cisterna de ferro, o que constitui um atentado a saúde publica. 

Para o acadêmico, o óleo à granel deve ser transportado em camiões cisterna de alumínio e que tal acto, é uma demonstração clara sobre a falta de uma política eficaz do controlo da segurança alimentar e da saúde pública dos cidadãos.

Especialistas da saúde, também manifestaram a estranheza de uma empresa de grande poder econômico, ferir gravemente as normas elementares da segurança alimentar ao transportar óleo vegetal em cisterna de ferro.

Por parte de órgãos policiais afins e da Aniesa, o silencio acompanhado de vários receios, é a resposta para os órgãos de imprensa, justificando, não haver quaisquer indícios sobre a matéria em causa, prometendo no entanto averiguar.

No acto inaugural da refinaria de óleo vegetal no complexo industrial carrinho, o seu porta voz Lissandro Filipe desmentiu tais informações, afirmando que o óleo importado à granel, está a ser transportado de acordo com as normas exigidas sem especificar a sua natureza.

Mas nas redes sociais, vários cidadãos, dizem ter observado evidências claras de que o óleo à granel importado pela Carrinho foi mesmo transportado em cisternas de ferro alugados a uma empresa de Luanda LBTI. 

“Tenho um vizinho que presta serviço com caminhão de areia e transporta arroz e milho E contou-me o olho é transportado em caminhão cisterna, sim Tanto mais que ele contou-me que um dos caminhões cirterna rebentou e um dia desses espalhou por todo caminho provocando acidente”, escreveu um internauta numa página do faceboock, onde o tema era a polemica em volta do transporte do óleo vegetal a granel do Posto do Lobito para a nona refinaria no complexo carrinho, localizada na zona do Vimbalamby em Benguela.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *