Inquérito indica que angolanos não tem confiança na Comissão Nacional Eleitoral

 

Luanda – No momento em que Angola se aproxima das eleições gGerais de Agosto de 2022, apenas

um em cada cinco cidadãos afirmaram confiar na Comissão Nacional Eleitoral, revelam os novos dados do inquérito do Afrobarometer.

Fonte: Afrobarometer

Enquanto cerca de metade dos Angolanos afirma que a CNE actua de forma neutra, a confiança na Instituição gestora do processo eleitoral decaiu do nível mais baixo registo há três anos.

Angola realizará as quartas eleições gerais em Agosto de 2022. As primeiras três eleições, vencidas pelo Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) por maioria qualificada, foram marcadas por suspeitas de fraude eleitoral, com a actuação da CNE no centro das suspeitas.

Principais conclusões

Apenas um em cada cinco Angolanos (21%) disseram confiar “de alguma forma” ou “muito” na CNE, menos

6% comparativamente a 2019 (Figura 1).

O nível de confiança é relativamente maior entre os homens (25% vs 17% das mulheres) e entre os respondentes adultos (34% dos que possuem 46 anos e mais vs 17% a 19% dos 18 aos 35 anos de idade) (Figura 2). Os cidadãos residentes nas zonas rurais (27%) também revelaram maior confiança do que os das zonas urbanas (18%). O mesmo acontece com os que possuem ensino primário ou sem educação formal (26% e 27%) comparativamente aos que possuem o ensino secundário ou universitário (17% e 19%). Apenas 14% dos residentes

Apenas 14% dos residentes da província de Luanda afirmaram desconfiar na CNE.

Cerca de metade (32%) dos Angolanos afirmaram que a CNE actua de forma neutra, enquanto perto de um terço (32%) que ela proporcione um grupo particular (Figura 3).

A percepção sobre a atuação neutra da CNE aumenta com o nível de educação dos respondentes, passando de 37% sem educação formal para 56% dos que possuem o ensino universitário (Figura 4).

Afrobarômetro

Afrobarometer é uma rede de pesquisa pan-africana e apartidária, que fornece

é uma rede de pesquisa pan-africana e apartidária, que fornece dados confiáveis sobre experiências africanas e avaliações de democracia, governança e qualidade de vida. Oito rondas de pesquisas foram concluídas em 39 países desde 1999. As pesquisas da Ronda 9 (2021/2022) estão em andamento. O Afrobarometer realiza entrevistas face-a-face na língua da escolha do entrevistado, com uma amostra nacional representativa.

A equipa do Afrobarometer em Angola, liderada pela Ovilongwa – Estudos de Opinião Pública, entrevistou 1.200 Angolanos adultos, entre 09 de fevereiro

e 08 de março de 2022. Uma amostra deste tamanho produz resultados nacionais com uma margem de erro de +/-

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *