Eleições decorrem no pior ambiente político de todas as votações, diz Adalberto Costa Júnior

 

O líder da UNITA, Adalberto Costa Júnior acusou as autoridades responsáveis pelas eleições de não respeitarem a lei e disse que o seu partido não será levado para as mesmas “de qualquer forma”.

Eleições decorrem no pior ambiente político de todas as votações, diz Adalberto Costa Júnior

ANGOLA

Eleições decorrem no pior ambiente político de todas as votações, diz Adalberto Costa Júnior

Manuel José João Marcos

Adalberto Costa Júnior

LUANDA E BENGUELA — 

O líder da UNITA, Adalberto Costa Júnior acusou as autoridades responsáveis pelas eleições de não respeitarem a lei e disse que o seu partido não será levado para as mesmas “de qualquer forma”

Presidente da UNITA diz que eleições estão a fazer-se no pior ambiente democrático de sempre 

Dirigente do Galo Negro disse que as eleições estão a decorrer no pior ambiente de sempre.

Falando na abertura de uma reunião ordinária do Comité Permanente da UNITA, Adalberto Costa Júnior acusou o executivo e os órgãos encarregues de organizar as eleições de estarem a violar constantemente as leis.

“O ministério da administração do território, a CNE devem cumprir a lei, a CNE deve afixar imediatamente a lista dos cidadãos registados até agora, como manda a lei”, disse.

“As instituições estão a violar as leis e nós não podemos aceitar ser conduzidos para as eleições de qualquer maneira, de qualquer forma”, acrescentou.

Para Adalberto Costa Júnior “A abordagem destas eleições estão-se a fazer no pior ambiente democrático de todas as outras eleições”

Costa Júnior mencionou aspectos como a justiça e a postura da mídia em relação aos partidos como os mais flagrantes caasos de ilegalidades

“O excessivo e abusivo uso dos tribunais e da justiça a interferir na vida dos partidos políticos, na comunicação social vemos tempos de verdadeiros escândalos de. censura e tratamento desigual entre os partidos”, disse o dirignete da UNITA que denunciou igualmente a falta de cumprimento em relação a lei que prevê participação dos cidadãos angolanos na diáspora.

“Feito o balanço, o registo eleitoral só teve lugar em 12 países, é uma vergonha, é inaceitável,

incompetência e má fé”, disse.

A CNE e o governo não reagiram às declarações do líder da UNITA mas anteriormente a vice-presidente do MPLA, no poder, Luísa Damião disse que as acusações de fraude e de ilegalidades são um pretexto usado pela oposição que “sabe que vai perder”

Frente Patriótica

Unida é para aqueles que “não estão bem na actual situação”

O presidente do Bloco Democrático, Filomeno Vieira Lopes, afirmou nesta terça-feira, 03, em Benguela, que o seu partido abraçou a Frente Patriótica Unida (FPU) para tirar Angola dos carris de um mono-partidarismo disfarçado, apontando como sinais de falta de

democracia a ausência de autarquias e a gestão das finanças públicas sem fiscalização da Assembleia Nacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *