DOSSIER 27 DE MAIO 1977 QUI DA VISÃO A UMA FIGURA SIMBÓLICA DA CELA ( F )

DOSSIER 27 DE MAIO 1977 QUI DA VISÃO A UMA FIGURA SIMBÓLICA DA CELA ( F )

Ele sabia usar o seu humor como uma espécie de medicamento que nos punha a rir todos , mesmo em situações quando as lágrimas quase já tomavam conta de nós.

Tudo que ele contava para nos fazer rir era contado em um calão raro e da pedra , daquele que antes nunca tínhamos ouvido de outra pessoa..

 Com ele aprendi que zakela é branco , lazula é mulato , kubelo é cobertório e pambulo é pão .

Tudo isto em histórias carregadas de tanto humor contadas por ele e do seu jeito era difícil resistir .

Não se tinha como não dar uma gargalhada mesmo quando no gemido das folhas de jornais que se desprendia das feridas frescas contraídas da surra dos interrogatórios violentos.

Era forte , tão poderoso e confortável o seu humor , depois que lhe ouvissemos a contar alguma história ou anedota toda fantasiada de humor.

Se ficava com a sensação de que tudo era mais possível suportar tipo ate as dores desapareciam . 

Houve momentos em que ate lhe provoquei só mesmo para ver se me empurrasse com o seu humor , pois seu humor tinha sabor de alimento .

Era camionista de profissão , morava no Neves Bendinha estava casado com sua senhora de família humilde a mana Nandinha .

De quem me recordo tão bem como se fosse hoje , pois já tive o prazer de a receber em minha casa cá na Alemanha quando esteve cá de visita .

Fernando Vumby

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *