Direção da Clínica Sagrada Esperança do Soyo pede desculpas após proibir os funcionários de falarem línguas nacionais.

Direção da Clínica Sagrada Esperança do Soyo pede desculpas após proibir os funcionários de falarem línguas nacionais.

A Direção Geral da Clínica Sagrada Esperança no Soyo, província do Zaire, reagiu neste sábado, 28 de maio, ao comunicado datado de 26 de maio, onde os funcionários daquela unidade hospitalar eram expressamente proibidos de falarem línguas nacionais dentro do local de trabalho sob pena de incorrerem em procedimentos disciplinares, em caso de desobediência. 

Segundo a Direção daquela instituição, houve uma má interpretação de uma orientação baixada para disciplinar um certo incidente que aconteceu entre profissionais e utentes não falantes da língua local que reclamaram sobretudo, na altura, da prestação de cuidados. 

«A Clínica Sagrada Esperança é uma Instituição de bem, espalhada em 15 provinciais de Angola, não é sua prática a discriminação. 

Por este meio vem comunicar à população do município do Soyo, em particular à Administração Municipal, à população do Mbanza Congo e de Angola, em geral, um pedido de desculpas e tomará as devidas medidas disciplinares para pôr cobro à situção.

Diante do referido incidente, que consideramos grave, penitenciamo-nos e esperamos um perdão de quem sempre procura os nossos cuidados de saúde e a população em geral, que sempre primamos em respeitar as nossas crenças culturais.», lê-se no comunicado assinado pela Diretora Geral.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *