Mais uma especialista em roubar dinheiro público: “Saque” no Fundo de Segurança Social

 

A Presidência da República foi notificada por dirigentes do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS) sobre desvios de fundos, com alegada conivência da ministra Teresa Dias. O assunto encontra-se, conforme apurado, em análise interna.

Casos denunciados, segundo informação consultada pela Newsletter África Munitor; O Fundo Social dos Trabalhadores (FST) do INSS tem vindo a ser usado para pagar subsídios à própria ministra (AOA 3 milhões) e seus secretários de Estado (AOA 2,4 milhões); os complementos para cargos de director e chefes de departamento varia entre AOA 1,6 milhões e AOA 990 mil; cargos inferiores recebem menos de 465 mil;

O pagamento de complementos beneficia também o próprio diretor geral do INSS (AOA 254 mil) e adjuntos (AOA 241 mil) e, com quantias inferiores, outros quadros; – Falta de controlo nas admissões a organismos sob tutela do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTS); apontado em particular o caso de Anselmo Monteiro, director do SIAC – Serviço Integrado de Atendimento ao Cidadão, que admitiu cinco consultores, que auferem AOA 2 milhões, ignorando a orgânica oficial do serviço.

Ausência de documentos financeiros de suporte, como extractos bancários, das contas do INSS; existem suspeitas, a nível interno, de que algumas das contas estarão a ser usadas em benefício de altos funcionários.

A decisão de utilização de verbas do FST a todos os trabalhadores do sector coube a Teresa Dias, que havia sido nomeada com a incumbência de “sanar” o Ministério e o INSS, após o que o PR classificou internamente como um período de descontrolo financeiro e aproveitamento de verbas, no período do ex-ministro Pitra Neto.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *