BRASIL:Jair Bolsonaro alegou que o retorno de seu rival ao poder daria início ao comunismo, drogas legalizadas, aborto e perseguição de igrejas

Lula volta à presidência após derrotar Bolsonaro

Os brasileiros deram uma vitória muito apertada a Luiz Inácio Lula da Silva em uma eleição presidencial amarga, dando ao presidente esquerdista outra chance de poder em uma rejeição à política de extrema direita de Jair Bolsonaro.
Lula recebeu 50,9% dos votos e Bolsonaro 49,1%, segundo a autoridade eleitoral do país. No entanto, horas após resultados – e parabéns dos líderes internacionais – Bolsonaro ainda não publicou os resultados ou reagiu de alguma forma.
A campanha de Bolsonaro havia feito alegações – não comprovadas – tentativas de manipulação possível antes da votação, levantando temores de que, se perdesse, não aceitaria a derrota e tentaria contestar os resultados.
Para Lula, a eleição de alto risco foi
um retorno incrível
Sua decisão por impelidores.
“Hoje o único vencedor é o povo brasileiro”, disse Silva em um discurso na noite de domingo em um hotel no centro de São Paulo. “É a vitória de um movimento democrático que se formou acima de partidos políticos e ideologias para que a democraciasse vitoriosa.”
Lula derrota Bolsonaro e volta a ser presidente do Brasil
Da Silva está prometendo governar além de seu partido. Ele diz que quer trazer centristas e até alguns inclinados à direita, e restaurar o tipo de prosperidade que o país desfrutava quando foi presidente pela última vez, de 2003 a 2010. No entanto, ele enfrenta ventos contrários em uma sociedade politicamente polarizada.

Jair Bolsonaro

Os quatro anos de Bolsonaro no cargo foram marcados pelo conservadorismo proclamado e pela defesa dos valores cristãos tradicionais. Ele alegou que o retorno de seu rival ao poder daria início ao comunismo, drogas legalizadas, aborto e perseguição de igrejas – coisas que não aconteceram durante os primeiros oito anos de Lula no cargo.
Esta foi a eleição mais apertada do país desde seu retorno à democracia em 1985, e a primeira vez que um presidente em exercício não conseguiu a reeleição. Pouco mais de 2 milhões de votos separaram os dois candidatos; a corrida anterior mais próxima, em 2014, foi decidida por uma margem de aproximadamente 3,5 milhões de votos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *