Sindicato dos jornalistas angolanos anunciou para o próximo sábado, 17 e o Ministério da comunicação social proíbe jornalistas dos órgãos de comunicação público de participar na marcha

Sete jornalistas de diversos órgãos privados disseram ter sido detidos e maltratados na manhã desta quinta-feira, em Luanda.

Na segunda-feira, o sindicato dos jornalistas angolanos anunciou para o próximo sábado, 17, a realização de uma marcha em protesto aos ataques que a classe tem sido alvo.

Ministério da comunicação social proíbe jornalistas dos órgãos de comunicação público de participar na marcha convocada pelo sindicato dos jornalistas.

Sete jornalistas de diversos órgãos privados disseram ter sido detidos e maltratados na manhã desta quinta-feira, em Luanda.

Tudo aconteceu quando os profissionais de órgãos alternativos se encontravam a entrevistar a mãe de um detido no exterior das instalações do SIC Geral.

Trata-se de Escrivão José, Angelino Cahango e Mauro Zamba pertencentes ao Jornal HORA H, Jubileu Panda TV MAIOMBE, Victor Kavinda JORNAL 24, Joaquim Paulo FACTOS DIÁRIOS e Capita Inga TV NZINGA,

Os profissionais contam que se encontravam a entrevistar a mãe do representante da organização Bombeiros Unidos Sem Fronteiras que se encontra detido desde quarta-feira, nas instalações do Serviço de Investigação Criminal (SIC-Geral), quando foram presos.

Escrivão José que se tinha deslocado ao local por er recebido a informação que “havia uma manifestação defronte ao SIC-Geral de familiares de um oficial dos bombeiros que está detido a mais de 24 horas”.

Capita Inga, outro detido, diz ter sido mal tratados no período de quase três horas de detenção.

“Fomos torturados, quer verbalmente quer fisicamente”, disse.

Os órgãos de comunicação social os jornalistas afeto aos órgãos estatal estão proibido de participar na manifestação que o Sindicato de Jornalista irá realizar no dia 17.

Segundo a fonte que viemos citando, o ministério da comunicação não é há favor a está marcha e reitera que nenhum jornalista dos órgãos de sua tutela deve participar nesta atividade.

É de recordar que o Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA), anunciou  a convocação de uma marcha para o dia 17 de dezembro deste ano, em repúdio aos constantes assaltos que a sede tem sofrido e também denúncias de perseguições a vários jornalistas angolanos. 

Importa referir que a sede do Sindicato dos Jornalistas Angolanos voltou a ser assaltada no último sábado, 3 de dezembro, e os marginais levaram vários bens, naquele que foi o segundo assalto naquela instituição em menos de dois meses.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *