JORNAL FACTOS DE ANGOLA NACIONAL João Batista Borges no cargo de Ministro da Energia e Água, é um tiro no pé no combate à corrupção

João Batista Borges no cargo de Ministro da Energia e Água, é um tiro no pé no combate à corrupção

João Batista Borges no cargo de Ministro da Energia e Água, é um tiro no pé no combate à corrupção post thumbnail image

João Batista Borges no cargo de Ministro da Energia e Água, é um tiro no pé no combate à corrupção

Por ter o seu nome manchado na corrupção: João Batista Borges num país sério já estaria preso- dizem analistas

O segundo mandato de João Lourenço está sendo o mais desafiador, e o líder do MPLA e da República de Angola, deve agora de uma  vez por toda se afastar-se dos corruptos e fazer o verdadeiro combate à corrupção. Vários analistas ouvidos pelo Factos de Angola, são de opinião que a recondução de João Batista Borges no cargo de Ministro da Energia e Água, é um tiro no pé no combate à corrupção. Para os analistas, o ministro Borges tem o seu nome manchado na corrupção e num país verdadeiramente sério, ele já estaria preso.Presidente do Conselho de Administração da EDEL E.P entre 2005 e 2008, João Baptista Borges ocupou em seguida o cargo de vice-ministro da Energia até 2010, passando depois a ser secretário de Estado da Energia, até 2011. No ano seguinte, José Eduardo dos Santos nomeou-o Ministro da Energia e Águas, responsabilidade que continuou a assumir depois da chegada de João Lourenço ao poder em Angola, no ano de 2017.Borges tem gerido de mal a pior o ministério que dirige, as populações clamam por melhoria do ministério que mais recebeu investimento no governo de João Lourenço.Quem é João Batista Borges?João Baptistas Borges é suspeito de branqueamento de capitais em Portugal, terá usado familiares, principalmente o sobrinho em negócios no sector da energia que renderam milhões.O sobrinho do ministro e vários elementos da família estarão envolvidos em negócios ligados ao sector da energia que renderam vários milhões. O documento a que a fonte teve acesso, a chinesa Hong Kong Yongda Holding subcontratou uma empresa, a Diverminds, para apoio técnico em contratos públicos no sector da Energia, em Angola, por quase 1 milhão de euros. Empresa que é do sobrinho e de um dos filhos do ministro João Batista Borges.Em Portugal, existe uma outra empresa, exactamente com o mesmo nome desta offshore: Diverminds. Também ela em nome do sobrinho do ministro, diz a investigação. Na constituição da Diverminds Unipessoal, pode ver-se que o gerente é o sobrinho, Ricardo Borges. A empresa tem sede em Lisboa e abriu actividade em 2018.De acordo com a TVI, Ricardo Borges tem mais empresas. Uma delas é  Plurienergia, conseguiu negócio com a Ambergol, Ambiente e Energia de Angola, por 500 mil euros, pagos em quatro vezes e enviados directamente para uma conta em Portugal.O sobrinho do ministro abriu mais duas empresas offshore, exactamente com o mesmo nome, nos Emirados Árabes Unidos: a Plurienergia Limited e a Plurienergia DWC.A investigação revela também que o ministro João Baptista Borges abriu uma empresa offshore com um dos filhos, estando já em funções no governo angolano, e deu como morada um apartamento em Lisboa. Outrossim, descobriu o nome do ministro angolano da Energia na constituição de uma offshore nas Ilhas Virgens Britânicas, quando já estava em funções no governo.João Baptistas Borges é o único ministro da era José Eduardo dos Santos que exerce funções na governação de João Lourenço.Essa é outras acusações, são mais do que provas suficientes para João Batista Borges ser chamado nas barras da justiça.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Post