JORNAL FACTOS DE ANGOLA NACIONAL TRÁFICO DE INFLUÊNCIA E CORRUPÇÃO LEVA FAMÍLIA DUARTE A TOMAREM DE ASSALTO O BPC

TRÁFICO DE INFLUÊNCIA E CORRUPÇÃO LEVA FAMÍLIA DUARTE A TOMAREM DE ASSALTO O BPC

TRÁFICO DE INFLUÊNCIA E CORRUPÇÃO LEVA FAMÍLIA DUARTE A TOMAREM DE ASSALTO O BPC post thumbnail image

O tráfico de influência e a corrupção, levou vários membros da família Duarte a envolverem-se no esquema da banca para facilitar salvaguardarem os interesses da família, amigos e das suas empresas que nos últimos tempos estão a fazer eco nos corredores da instituição que as mesmas é que vão cuidar da limpeza em todas dependências bancárias do país, disse ao portal o Ladrão, uma fonte próxima ao clã Duarte.

Há dois administradores executivos no Banco de Poupança e Crédito, Luís Duarte que é irmão do administrador municipal do Talatona, Rui Duarte, amigos pessoais da Ministra das finanças Vera Daves, um dos irmãos Duarte que é, Jardel Duarte esta a trabalhar como administrador executivo do Banco de Comércio e Industria (BCI).

Segundo a fonte do portal o Ladrão, o outro administrador executivo é o bancário Walter Salgueiro, casado com uma cunhada do Luís Duarte.

“São dois administradores executivos do Banco de Poupança e Crédito (BPC), que têm ligações familiares a partir das mulheres casadas” frisou a fonte.

Os dois têm protecção da ministra das Finanças Vera Daves e aproveitam-se do amparo para fazerem os negócios consigo mesmo, disse.

PCA CONTRA PCE: CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DO BPC DIVIDIDO

Os interesses económicos, estão na base do braço-de-ferro entre o Presidente do Conselho de Administração do Banco de Poupança e Crédito, Paulo Pinheiro e os dois Administradores Executivos daquela instituição bancária, Sandra e Luzolo de Carvalho.

Segundo fontes do portal o Ladrão, o actual PCE Luzolo de Carvalho, é filho de um membro influente do Partido MPLA, Emílio Guerra, ex-embaixador e ex-ministro, por isso é que o braço-de-ferro de ferro prevalece porque os mesmos gozam de influências partidária e não só.

“Desde que os PCEs comeram a rever os contratos, reduzir custos desnecessários do banco, cortar serviços que aumentam os custos operacionais, estão a chocar com os interesses do Presidente do Conselho de Administração do Banco, Cláudio Pinheiro, que defende os interesses do Ex-PCA Paixão Júnior, André Lopes e do Ministro dos Transportes Ricardo de Abreu.

POR: O LADRÃO

Brevemente em actualização as empresas dos dirigentes angolanos, que actuam no BPC…

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Post