JORNAL FACTOS DE ANGOLA NACIONAL Administrador do Grupo Ango Real ,Mohamed Mamoud Ould Sidi Mohamed é testa de ferro de Augusto Tomás

Administrador do Grupo Ango Real ,Mohamed Mamoud Ould Sidi Mohamed é testa de ferro de Augusto Tomás

Administrador do Grupo Ango Real ,Mohamed Mamoud Ould Sidi Mohamed é testa de ferro de Augusto Tomás post thumbnail image

Administrador do Grupo Ango Real envolvido em esquemas financeiros e violações trabalhistas: Mohamed Mamoud Ould Sidi Mohamed é testa de ferro de Augusto Tomás
Empresa recebeu montante milionário da Odebrecht, mas enfrenta dificuldades na gestão financeira e no pagamentos de salários.
O administrador do Grupo Ango Real, Mohamed Mamoud Ould Sidi Mohamed, está sendo acusado de envolvimento em esquemas financeiros e de atuar como testa de ferro do ex-ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás. Recentemente, Mohamed Mamoud foi implicado no caso de roubo de 400 milhões de Kwanzas do Banco de Poupança e Crédito (BPC). Essas circunstâncias têm gerado dificuldades na gestão financeira das empresas ligadas a Mohamed Mamoud nos últimos anos.
Uma denúncia feita chegada redação do Lil Pasta News revelou que a empresa está violando normas legais no que diz respeito ao pagamento de salários de seus trabalhadores e colaboradores. Segundo fontes internas, a empresa só realiza o pagamento de salários para o pessoal ativo na empresa, excluindo os trabalhadores que foram reduzidos por meio de despedimentos e suspensões contratuais, o que configura uma violação da Lei Geral do Trabalho.
Além disso, foi descoberto que a Ango Real Transportes Rodoviário e Serviços Limitada recebeu um montante de 40 milhões de kwanzas da Odebrecht, referente a contratos firmados entre as duas empresas. Esses recursos seriam suficientes para pagar os salários dos funcionários nacionais da Ango Real Transporte, especialmente durante o período de estado de emergência. No entanto, os trabalhadores têm reclamado de atrasos nos pagamentos desde dezembro de 2019, e os empregadores da Ango Real Transporte têm demonstrado certa negligência em relação a essa questão.
Diante desse cenário, espera-se que o governo, conforme prometido pelo Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTESS), investigue esse caso e fiscalize as empresas que alegam falta de liquidez para justificar o não pagamento de salários. A situação exige uma análise aprofundada das práticas financeiras e trabalhistas da Ango Real e a adoção de medidas adequadas para garantir os direitos dos trabalhadores e a transparência nas relações empresariais.
Tentamos ouvir a direção da Ango-Real, até o fecho desta matéria não aceitaram responder o nosso questionário.
Fonte:Lil Pasta News

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Post